domingo, 3 de outubro de 2010

Não há falta na ausência...

Ausência

"Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim."
Carlos Drummond de Andrade
                                              Estátua de Drummond na praia de Copacabana, Rio de Janeiro

Nas palavras do maravilhoso poeta é possível pensar nas ideias de ausência e de falta. Na ausência existe o registro do objeto amado, pois ele existe inserido em nossas lembranças, memórias, em nossa pele, em nosso ser, pois deixou marcas em nós. Já na falta não houve esta marca, este registro da vivência.

4 comentários:

  1. .

    Não, não sinta fala da minha presença,
    pois, por mais que desagrade a minha
    ausência, do seu colo, a cada instante,
    a minha vida de você depende.
    Não queira que eu esteja ao seu lado
    enamorado, pois o homem que eu sou,
    como criança, vive atarefado ensaiando
    amores, mas falando sério pois estou
    brincando.

    silvioafonso.




    .

    ResponderExcluir
  2. FICO MUITO GRATO COM SUA VISITA, E VENHO AQUI VER TUA OBRA PRIMA, O QUE MUITO ENCANTOU - ME, A TI MINHA ALTEZA, DSEJO MUITO SUSSESO, BJS

    ResponderExcluir
  3. Linda amiga, quanta honra poder visitar-te também por esta virtualidade poética!
    Já começou arrebentando nos textos selecionados, agora ninguém mais te segura!!! srsr

    Agradecida pelo convite à tua casa, deixo-te um carinho e flores coloridas espalhadas neste post.
    Porque das faltas, ah, tenho tanto ainda a trabalhar sobre elas...

    Beijos, voltarei aqui com frequencia!
    Desta Mari por vezes Ane

    ResponderExcluir
  4. ... Já estou te seguindo...
    Farei indicação tua lá no meu blog!

    ResponderExcluir